Cuiabá, 01 de Novembro de 2014

Últimas Notícias

A | A

Sábado, 16 de Fevereiro de 2008, 09h:12 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

MEIO AMBIENTE

Colíder vive clima de festa com o "Nortão Reage"


Várias lideranças do Estado participam das discussões sobre desmatamento e incentivos à agricultura da região Norte

Pollyana Araújo, enviada especial a Colíder

   Colíder se transformou numa verdadeira "festa" neste sábado com a realização do "Nortão Reage". O município, com menos de 30 mil habitantes, recebe 35 prefeitos, centenas de pecuaristas da região e várias lideranças políticas, como o vice-governador Silval Barbosa (PMDB), o deputado federal Homero Pereira (PR) e os estaduais José Riva (PP) e Dilceu Dal Bosco (DEM). Estes já se apresentaram como líderes do movimento, que acontece neste momento no Centro de Tradições Gaúchas.

   O manifesto é uma união de forças da classe política e do setor produtivo, incluindo também a "turma da botina", grupo ligado ao governador Blairo Maggi, contra os dados negativos sobre o desmatamento descoberto na região pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Eles também protestam contra o decreto federal que visa embargar as áreas desmatadas de forma ilegal.

(Atualização às 9h19) - Jonas e Vetoratto são lembrados

    Durante a abertura, o prefeito de Santa Helena (a 600 km da Capital) e presidente do Portal da Amazônia, Roque Carrara, declarou que há duas cadeiras vazias. Uma reservada ao senador Jonas Pinheiro (DEM) que é agropecuarista, e outra ao secretário de Projetos Estratégicos, Clóves Vetoratto. Os dois enfrentam sérios problemas de saúde. "O senador Jonas já fez muito pela nossa região, já o secretário Clóves é um dos grandes incentivadores dos consórcios intermunicipais", disse o prefeito.

(Às 9h53) - Riva dispara críticas ao Congresso e à Sema

   Em seu discurso, José Riva (PP) critica o trabalho do Congresso Nacional que, segundo ele, não teve interesse na realização de uma reavaliação dos dados do Inpe. "Uma meia-dúzia de moralistas e ambientalistas impediram que haja esse trabalho e o Congresso simplesmente aceitou". Riva avalia que os interesses dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro são atendidos com mais rapidez que os de Mato Grosso. "Quando se fala na nossa região existe toda uma burocratização".

   Riva que adota um discurso duro e crítico declara que faltam lideranças de "pulso firme". "Às vezes, o Brasil vai mal por carência de lideranças". Para o deputado, a secretaria de Meio Ambiente, sob Luis Henrique Daldegan é uma das grandes responsáveis pelos problemas ambientais existentes. "Com a gestão que está lá, daqui há 5 anos estaremos falando da Sema novamente", critica. "Precisamos de uma Sema séria que atende as demandas do Estado". Daldegan foi convidado, mas não compareceu ao encontro.

(Às 10h21) - Minuto de silêncio em memória de Jonas

    Ao ser comunicado sobre a morte cerebral do senador Jonas Pinheiro, Riva interrompeu seu discurso e emocionado pediu um minuto de silêncio em memória de Jonas. "Jonas foi um político que não teve inimigo. Um homem que nunca fez enfrentamento pessoal", disse Riva. Nesse momento, os políticos e autoridades ficaram comovidos e com os olhos cheios de lágrimas, inclusive o deputado Homero Pereira (PR), que compõe a Mesa.

(Às10h52) - Vice-governador faz discurso contraditório

   O vice-governador, Silval Barbosa (PMDB), fez um discurso um tanto contraditório. Disse que o compromisso do governador Blairo Maggi (PR) é estar presente em todas as discussões acerca da área ambiental, porém o governador não está participando dessa mobilização em Colíder. Em nome de Maggi, Silval contestou os dados do Inpe. "Para o governador, o Inpe é mentiroso e irresponsável por divulgar dados incorretos". Segundo ele, o governador tem priorizado os consórcios intermunicipais através do MT Regional.

(Às 11h45) - Dal Bosco quer ir a Brasília e contestar Inpe

    O deputado Dilceu Dal Bosco (DEM) defende a realização de uma caravana da "turma da botina" e da imprensa a Brasília, para apresentar o resultado do levantamento que está sendo feito pelo governo do Estado. Se diz confiante de que os dados do Inpe quanto ao desmatamento ilegal referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro são incorretos. "Vamos lá em Brasília e com argumentos consistentes para provar que o Inpe está errado", argumenta.

(Às 12h12) - Aqui não tem bandido não, alerta Homero

  O deputado Homero se mostra revoltado com os ambientalistas, para quem só atrapalham. "Aqui não tem bandido não. Temos que ir até o presidente Lula e falar isso". Considera injusta a forma em que o próprio presidente Lula está tratando a questão ambiental do Estado. "Queremos respeito, pois, além de ter a pecuária também somos o maior produtor de soja do mundo".

  Homero mobiliza o setor produtivo com a intenção de chamar a atenção do governo federal. "Se o presidente Lula está se curvando, cabe a nós garantir a nossa soberania". Segundo o parlamentar, o problema está no fato de todos precisarem do setor produtivo e criticar incessantemente o desmatamento. "Tem gente que fala que é ambientalista, mas nunca plantou um pé de abobrinha na vida", completa.

(Às 13h11) - De 35 prefeitos presentes, 15 são do PR


Prefeitos e outras lideranças do Nortão no ato deste sábado

 Dos prefeitos que estão participando do evento, 15 são filiados ao PR. A filiação em massa ocorreu em 2006, quando o governador Blairo Maggi abandonou o PPS e foi para o PR. Na verdade, essa união com Maggi se tornou indispensável aos prefeitos do Nortão, já que, enquanto estão no PR, consequentemente, obtêm  maior apoio do governador.

   Os prefeitos do PR no Nortão:

  • Silda Kochemborger - Apiacás
  • Ednilson Liz Faitta - Aripuanã
  • Orodovaldo Antonio de Miranda - Carlinda
  • Genes Oliveira Rios - Castanheira
  • Manuel Messias Sales - Feliz Natal
  • Levino Heller - Itaúba
  • Hilton Campos - Juína
  • Adalberto Navair Diamante - Marcelândia
  • Nelson Lehrbarch - Nova Monte Verde
  • Nelson Baumgratz - Novo Mundo
  • Hermenegildo Bianchi Filho - Peixoto de Azevedo
  • Rudimar Nunes Camassola - Santa Carmem
  • Manoel Rodrigues de Freitas Neto - Terra Nova do Norte
  • Enio Alves da Silva - União do Sul
  • Celso Bernazeski - Colíder

(Às 13h36) - Pausa para churrasco servido à vontade

   O almoço está sendo servido gratuitamente aos mais de 2 mil participantes do movimento "Nortão Reage". Traz comida típica dos gaúchos. Foram reservados nada menos que 850 kg de carne bovina, que foi doada pelos frigoríficos Nova Carne e Quatro Marcos, localizados na região. Já a bebida é paga.


Deputados Riva e Eliene "puxam" o almoço, junto com o prefeito de Colíder, Celso Bernazeski
Foto: Marcelo Guedes

(Às 14h25) - Movimento segue agora com palestras

   Durante todo o período da tarde, o evento seguirá com palestras de técnicos ligados ao setor produtivo. A primeira com o tema Perspectivas para a Pecuária de Corte, está sendo ministrada pelo médico veterinário, Alexandre Sterman. A próxima trata da agricultura familiar.

(Às 19h) - Carta será enviada a todas esferas de Poder

   O movimento "Nortão Reage" encerrou às 18h, com a elaboração de uma carta, contendo propostas e encaminhamentosa partir das discussões com prefeitos, consórcios intermunicipais, câmaras municipais, sindicatos rurais e entidades representativas. O documento será encaminhado às autoridades em Brasília. Ficou definido um encontro para a próxima quinta (21) com representantes de todas as regiões do Estado, num manifesto em defesa do bioma Amazônico.

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Rafael Damian | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É a coisa mais triste para alguém ter que ler uma notícia na qual o Riva encabeça um movimento e faz críticas a alguém.

    É bem Mato Grosso...

  • Marcus Mediato | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É engraçado, quando o INPE divulgava dados atestando que o desmatamente na Amazônia estava diminuindo o Sr. José Riva, os demos e seus seguidores nada falaram. Agora, que o INPE detectou aumento desmatamente e o Presidente Lula tomou medidas dficazes para coibir esse crime contra a natureza e a vida, a turma dos "desvastadores da floresta" ficam alvoraçados, falando até em "justiça com as próprias mãos." Esqueceram esses senhores que a preservação do meio ambiente é um dos aspectos importantes do governo Lula, uma exigência da sociedade e da comunidade internacional.

  • Lucas Tomaz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabéns Deputado Riva,o senhor é um dos poucos deputados que honra os votos recebidos.E por essas e outras coisas que o Nortão sempre coloca o Riva de volta na AL,porque ele sim é um verdadeiro representante daqueles que votam nele.Se nossa querida Capital tivesse um deputado assim garanto que estaria muito melhor.Apesar dos pesares o Riva é um homem de ação.Que honra os votos recebidos e quem o crítica é sempre aqueles que não movem uma palha pra fazer algo se quer para seu bairro.

  • MANOEL PIRES DE MIRANDA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SERÁ QUE ALGUMAS PESSOAS VIVEM EM OUTRA DIMENSÃO?

    SERÁ QUE OS RELATÓRIOS DE CIENTISTAS MUNDIALMENTE CONHECIDOS E COM UMA REPUTAÇÃO A ZELAR ESTÃO ERRADOS???

    SERÁ QUE AS IMEGENS DE SATÉLITES SÃO "MENTIROSAS"????

    .... OU OS MENTIROSOS SÃO AQUELES QUE SEMPRE PRIORIZAM A AUTO-SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA (PARTICULAR, É CLARO) EM DETRIMENTO DO MEIO AMBIENTE E CONSEQUENTEMENTE DA SOCIEDADE?

  • Sentinela | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Os Dados do INPE

    O que o governador do estado e estes políticos aproveitadores entendem de meio ambiente, de dados de sensores remotos para contestarem os números do INPE, um “instituto de excelência” respeitado não só no Brasil, mas no mundo inteiro, um instituto composto por doutores nesta área, os pioneiros no Brasil nesta área. Eles é que formam os poucos doutores na área de geoprocessamento e sensoriamento remoto que existem no país, quem é ele para chamar alguém de mentiroso e irresponsável.
    Irresponsável é quem contesta um dado cientifico sem base para tal, quais são os dados científicos que o estado de Mato Grosso produziu desde 2005 ? (muito embora a dinâmica de desmate realizada neste período seja dúbia, pois o estado contratou uma empresa que forneceu um serviço de péssima qualidade, que deixa margem a muitos erros, empresa esta que já recebeu da SEMA desde 1999, pasmem, quase Cr$ 44.500.000,00, segundo o próprio relatório da CPI pág. 394 a 398), o estado não possui sequer uma base cartográfica confiável, as ultimas imagens de satélite compradas pela SEMA são de 2005.

    Falta investimento e interesse do governo, alem do mais falta gestão na SEMA, os técnicos de carreira que entendem desta área foram todos colocados a disposição e estão espalhados pela secretaria exercendo outras funções, quando uma equipe extremamente qualificada estava se formando, muitos deles tinham especialização, mestrado e doutorado, esta foi esfacelada por não atender aos anseios políticos e financeiros da atual gestão. Os dois doutores, estão um na UFMT e outro no corredor da SEMA, em seus lugares foram colocadas pessoas que não entendem nada, são comissionados e terceirizados.

    Onde esta a comissão da CPI que não toma providencias???
    O pouco que a CPI viu esta sendo ignorado pelo governo, pois basta ler o relatório que lá esta escrito com todas as letras que o maior problema da SEMA é a ingerência do órgão.

    Relatório da CPI,(http://www.al.mt.gov.br/CPI/relatorios/relatorio_final.pdf pag, 323, 324)
    “......o que se vê é um preenchimento excessivo de cargos comissionados pelas administrações públicas em detrimento do concurso público tratando o serviço público como transitório e não permanente.” Pág. 328

    “...Por todo o relatório é aparente o fato de que a SEMA possui um quadro de pessoal invejável a qualquer órgão do Estado e, no entanto, não consegue atender aos seus usuários de forma satisfatória. Tal fato só pode ter assento em um modelo de gestão transverso, que se perde em seus caminhos, que privilegia uma estrutura burocratizada, centralizadora, que promove amarras na administração da Secretaria.” pág. 419

    “.....Com uma equipe tão valorosa, tão bem formada, parece evidente que existam problemas na forma como a Secretaria vem sendo administrada. Parece muito claro que existe a necessidade de se promover reparos no fluxo dos processos e disciplinar os procedimentos dentro da SEMA para que os servidores possam efetivamente contribuir com o órgão.
    Não se contesta a possível necessidade de incrementar os quadros da SEMA, no entanto é falaciosa a argumentação de que esse é o principal entrave da Secretaria, haja vista a possível melhoria com o acerto em procedimentos internos. Aumentar o número de servidores sem criar condições de trabalho (seja de espaço, seja de equipamento, seja de procedimentos) não vai resolver os problemas de gestão do órgão.”


    “...O estado de Mato Grosso, repetidas vezes líder nacional de desmatamentos e queimadas, continua sendo o detentor do nada honrado título, mesmo com ferramentas poderosas de análise de modificações no meio ambiente, podendo fazer uma previsão de como vem caminhando o “arco do desmatamento” e tomar medidas acauteladoras. Bem faz lembrar que o órgão ambiental, em tempo ainda de FEMA, mais precisamente nos anos de 2000 – 2002, teve uma importante ação na redução do desmatamento em Mato Grosso. Houve, naquela época, uma percepção sistêmica da utilização dos instrumentos de monitoramento e de comando e controle. Assim, pôde criar estratégias de fiscalização e licenciamento. Recentemente, tivemos uma queda no desmatamento, segundo dados do IMAZON, com uma queda no desmatamento no período de agosto/2005 a julho/2006, se comparado ao período anual anterior. Por outro lado, houve aumento considerável sob a atual gestão, com o ano de 2007 superando em muito o anterior. Ou seja, é possível que se faça uma gestão eficiente e eficaz de contenção de desmatamento e queimadas, falta apenas que a SEMA sistematize as informações que têm e as aplique.” Pág 420

    Sobre a criação de mais 4 secretarias adjuntas “...Aliás, não chega exatamente a causar estranheza que tenha havido a modificação na Secretaria por meio de um Decreto, contrariando a constituição, uma vez que já se promoveu até mesmo a modificação de dispositivos de um Decreto revogado. A administração da SEMA tem levado o Governo a cometer erros desnecessários em virtude de descuidos primários.” Pág. 426


    “A postura pacífica do Governo do Estado, com uma gestão descompromissada com o meio ambiente, gera – dentre outras – duas grandes externalidades negativas: (1) a exaustão dos recursos naturais, muitas vezes irrecuperáveis; (2) como conseqüência da exaustão, temos o aumento da pobreza e a constante diminuição da qualidade de vida da população.” Pág. 429

    PALAVRAS DA CPI...

  • Maurilio Magalhães | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O classe produtora do Norte do estado "Nortão" mostrou seu poder de mobilização, mostrando para a classe politica, tanto na esfera estadual quanto na esfera federal, para os ambientalista das grandes cidades, que não conhecem a realidade do trabalhar na agropecuária, seja ele o Empresario Rural ou o Agricultor familar que antes de acusar, devem respeita-los, pois estes que criticam consomem alimentos que vem do suor e da dedicação destes trabalhadores do Nortão.
    Nos do Nortão sabemos do nosso dever, que devemos proteger os recursos naturais, mas não somos bandidos e que estamos aqui por influencia de governos anteriores (decada de 70 e 80) que incentivaram para que ocupasse esta região, enfrentando juntamente com seus familiares, a malaria, a falta de conforto, falta de estradas,dentre outras dificuldades.
    Estamos prontos para cumprir com a legislação ambiental, mas precisamos que estes ambientalistas de escritório, o governo (MMA) apresentam soluções economicas para esta população.
    PARABÉNS AOS DEPUTADOS José Riva, Homero Pereira, Prefeito Celso Banazeski e demais Prefeitos da Região, vocês são os verdadeiros defensores do Povo que quer Produzir.Continuem Lutando por este povo Trabalhador do Nortão.

  • antonio villar torres | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Trata-se de reunião de jagunços e piratas da amazônia tentando pressionar governos a continuar sendo coniventes e inertes diante da barbarie da devastação florestal cometida pelo avanço da fronteira agrícola e de plantio de pasto para gado. Esse pessoal tenta antecipar alguma reação frente a operação da policia federal que felizmente está vindo por aí para punir os responsáveis pelos altos indices de desmatamento e queimadas provocadas por esses tranvestidos produtores rurais, pois na verdade não passam de sanguessugas dos recursos naturais para obterem proveitos individuais e lucro fácil. Deveriam prender todo o pessoal que estavam presentes nesta reunião, principalmente essa cambada de politicos ordinários e irresponsáveis que apoiam certos movimentos de grupelhos criminosos. Cadeia neles!!!

  • Guilherme Filho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Lamento pela situação de desestímulo que vive a economia da região Norte, sofrida nos últimos dias por conta destas medidas punitivas. Mas é bom lembrar daquele fenômeno da física que diz "toda ação gera um reação". Esta reação das autoridades federais está está sendo até, digamos, branda porque até certo ponto está atingindo apenas aqueles que cometeram (premeditadamente) um crime ambiental. Pior será no futuro uma outra forma de reação, a da natureza, que certamente será implacável contra toda a humanidade, se continuarmos destruindo nossas fontes de oxigênio e de vida encontrado nesta região, uma das poucas reservas do Planeta. Aí não vai adiantar festas, protestos de políticos e nem qualquer outro tipo de chiadeira.

  • Miranda Muniz - PCdoB | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quero aqui parabenizar o "Sentinela Guerreiro" (possívelmente um técnico qualificado nessa área ambiental e que não quis se identificar com medo de alguma represália) pelos comentários e dados levantados sobre a gestão do órgão ambiental do Estado de Mato Grosso. Na minha opinião a Ministra Marina Silva e o Presidente Lula estão com a inteira razão em tomar medidas duras contra quem comete crime ambiental (já foi o tempo que essa gente mandava e desmandava no Brasil e no Estado). Sobre a "divergência" em relação aos dados, eu também prefiro acreditar no INPE. Ademais, o mais importante princípio do direito ambiental é o PRINCÍPIO DA PRECAUÇÃO, ou seja, in dúbio (na dúvida) pro natureza. Essa mesma gente que faz churrascada na faixa para atrair falso público (o Ministério Público tem que investigar se não estão gastando dinheiro público), encabeçada por Riva, pelos "demos" e pela "turma da botina" são os mesmos que querem alterar o Código Florestal (para permitir mais destruição) e tirar o Mato Grosso da chamada Amazônia Legal. Quem aqui nasceu ou veio para ficar aqui em Mato Grosso não pode aceitar que os devastadores destrua o que ainda resta dos recursos naturais e depois se retiram (após fazer o estrago) com as burricas cheias de dólares. Por isso, é preciso denunciar essa gente que comete crime ambiental ou que acoita e defende quem está cometendo crime. Sou totalmente favorável ao desenvolvimento, à utilização racional dos recursos naturais, com bases sustentáveis e que tragam efetivas melhoria ao povo que trabalha e produz (o setor produtivo são os trabalhadores e não os capitalistas rurais que andam em bimotores ou nas caminhonetes gabine dupla importadas).